Alfredo da Rocha Vianna Filho

FAIXA 01: URUBU

Da autoria de Pixinguinha. Interpretação do Conjunto OITO BATUTAS, constituído por Pixinguinha à flauta, Ernesto dos Santos (Donga) ao banjo, Otávio Vianna (China, irmão de Pixinguinha) ao violão, Nelson Alves ao cavaquinho, José Alves de Lima (Zezé) ao bandolim, João Tomás à bateria, Josué Barros ao segundo violão e Jota Ribas ao piano. RARIDADE: gravação RCA VICTOR de 1923. (92 anos atrás)…

FAIXA 02: SOFRES PORQUE QUERES

Choro da autoria de Pixinguinha em parceria com o flautista e compositor Benedito Lacerda. A interpretação é dos autores. Pixinguinha toca saxofone e Benedito Lacerda, flauta. Ambos são acompanhados de Grupo Regional. A gravação é extraída de um 78 rotações RCA VICTOR do ano de 1946.

FAIXA 03: MARRECO QUER ÁGUA

Composta individualmente por Pixinguinha no final da década de 1950, a composição de título MARRECO QUER ÁGUA foi designada como polca. A gravação que vamos ouvir dessa composição foi realizada em junho de 2008, no Teatro Santa Isabel, em Recife – Pernambuco, pela Orquestra Sinfônica do Recife, sob a regência do Maestro Osman Gioia.

FAIXA 04: MUNDO MELHOR

Em parceria com Vinícius de Moraes, Pixinguinha compôs, em meados da década de 1960, MUNDO MELHOR, que vamos ouvir numa gravação realizada no Estúdio da Rádio MEC, na cidade do Rio de Janeiro, realizada no mês de novembro de 2007. Acompanhada por um grupo de cordas, sopros e percussão, a interpretação está a cargo de Elza Soares.

FAIXA 05: VOU VIVENDO

VOU VIVENDO é um choro de autoria de Pixinguinha e Benedito Lacerda, de 1946, inicialmente concebido de forma instrumental, que na década de 1990 ganhou letra do poeta Hermínio Bello de Carvalho. Acompanhados por Grupo Regional, numa gravação de 1997, os intérpretes são Cristina Buarque e Sérgio Ricardo.

FAIXA 06: VIVA JOÃO DA BAIANA

No ano de 2002, um Grupo Instrumental que adotou o nome de “Água de Moringa”, excelente conjunto, por sinal, grava um CD com 13 composições de Pixinguinha que, se não mais puderem ser chamadas de inéditas, com toda certeza são pouco conhecidas do grande público. Um exemplo, é esse choro que vamos ouvir agora: VIVA JOÃO DA BAIANA, um homenagem de Pixinguinha ao compositor que introduziu o pandeiro no samba.

FAIXA 07: CARINHOSO – Instrumental

Uma das composições mais famosas de Pixinguinha, CARINHOSO, foi criada por esse gênio em 1917. Mais tarde, João de Barro, o nosso Braguinha, colocou a letra. Mas, inicialmente, vamos ouvir o CARINHOSO, em versão instrumental numa belíssima interpretação do Grupo liderado pelo trombonista Zé da Velha e pelo trompetista Silvério Pontes, com a participação especial do violonista Yamandú Costa.

 

FAIXA 08: CARINHOSO – Orlando Silva

Como já foi dito, CARINHOSO, em versão instrumental, foi composto por Pixinguinha em 1917. Em 1936, ou seja, quase 20 anos depois, o compositor João de Barro, o nosso Braguinha escreveu sua letra, que se tornou quase um hino nacional. Orlando Silva foi primeiro ia gravar CARINHOSO com letra. Isso se deu em 28 de maio de 1937. Na gravação original, Orlando Silva é acompanhado do Conjunto Regional RCA VICTOR.