Em setembro de 1942, Glenn Miller dissolveu a banda civil para alistar-se, voluntariamente, nas forças armadas, durante a Segunda Guerra Mundial (1939-1945). Admitido com a patente de capitão, iniciou a formação de uma orquestra com mais de quarenta instrumentistas, incluindo uma secção de cordas.

A orquestra dos sonhos que ele sempre desejou liderar, ao convocar os melhores músicos disponíveis e iniciando exaustivos ensaios. As apresentações públicas no rádio começaram no programa ”I Sustain The Wings” e em shows para as tropas em treinamento no território americano. Em junho de 1944, a Army Air Force Band partiu para a Inglaterra no navio Queen Elizabeth, instalando-se nos arredores de Londres.

Entre os componentes da orquestra militar estavam os arranjadores Jerry Gray, Ralph Wilkinson, Mel Powell e Norman Leiden. Os instrumentistas Ray McKinley (baterista), Johnny Desmond (cantor) e o conjunto vocal The Crew Chiefs. Ao todo, a banda realizou 500 programas de rádio em solo inglês, transmitidos dos estúdios da BBC de Londres e mais de 300 shows para os soldados americanos acantonados na Inglaterra. Uma atividade intensa e estafante.

No fatídico dia 15 de dezembro de 1944, o major Glenn Miller partiu para Paris (já liberada) para um concerto da orquestra no Teatro Olimpiá. O dia estava escuro e enevoado, mesmo assim, o pequeno avião Norseman, partiu para uma viajem que nunca se concluiu.

Após buscas exaustivas, nenhum passageiro foi encontrado ou restos da aeronave. Uma tragédia que abalou o mundo. Desaparecia de maneira trágica, Alton Glenn Miller, um dos mais destacados músicos da época. Desapareceu o homem, nasceu o mito. Por suas qualidades como músico e criador do imortal ”Miller Sound”, até nossos dias, reverenciado por seus admiradores. Major Alton Glenn Miller (1904-1944). Neste especial, serão ouvidas raras gravações realizadas pela etiqueta RCA Victor.