ORQUESTRA CASA LOMA

Tudo começou em 1929 na cidade de Detroit-Michigan USA, onde um grupo de músicos formou uma orquestra cooperativa, tendo Henry Biagini como líder. Os componentes eram oriundos da “Orange Blossoms Band”, uma facção dissidente da Jean Goldekette Band. Um ano após, Henry Biagini retirou-se, sendo substituído pelo violinista Mel Jenssen. O nome “Casa Loma Orchestra”,foi adotado em face de um convite para inaugurar o clube noturno Casa Loma, em Toronto-Canadá, construido para receber a visita do Príncipe de Gales. O clube nunca abriu mas, como tributo, os membros adotaram o nome. O grande impulso aconteceu quando o saxofonista Glen Gray, assumiu a liderança em 1937, concentrando as atividades na área de New York e aparecendo no famoso programa de rádio “Camel Caravan” transmitido, na época para todo pais, pela rede CBS (Columbia Broadcast System). A orquestra tem gravações realizadas, em sua maioria, nos estúdios da Decca e Columbia Records.

DIANE SCHUUR

Cantora e pianista de jazz, oriunda da cidade de Tacoma-Washington, atualmente é uma das mais populares intérpretes brancas da grande canção norte-americana. Diane já ganhou dois prêmios Grammy em 1986 e 87 com álbuns realizados nesses anos, inclusive com apoio da Count Basie Orchestra. Ela esteve duas vezes se apresentando no Rio e São Paulo. Por um acidente no parto, nasceu cega, o que não a impediu de abraçar a carreira artística com êxito.

THE INK SPOTS

Quarteto vocal negro formado no início dos anos 1930, era formado, basicamente, por Bill
Kenny (líder tenor), Orville Jones(baixo), Charlie Fuqua (barítono) e Ivory Watson (segundo tenor). Um dos mais populares conjuntos vocais negros, The Ink Spots, alcançou em 1937 um milhão de cópias vendidas, com o tema “If I Didn´t Care”. Grupo de maravilhosa harmonia, serviu de inspiração para outros que vieram depois dele, tanto brancos como negros. A maior parte do acervo, teve gravações relizadas na etiqueta Decca Records.