No início dos anos 1950, houve um renascimento da “Era do Swing e das Big Bands”, onde despontaram as lideradas por Billy May, Ray Anthony e Ralph Flanagan. Foi nessa época que a gravadora Columbia Records, resolveu reunir algumas orquestras com modernas sugestões da música para dançar. Entre as escolhidas, estava a do trompetista Les Elgart e seu irmão o saxofonista Larry Elgart, isso no início de 1954. Desde o primeiro disco lançado, o sucesso foi crescente, um som diferente e inconfundível, muito agradável de se ouvir e dançar. Fundamentalmente “swing”, com harmonias e contra-pontos. O irmão Larry, comandava o naipe de palhetas(saxofones) com a seção de metais destacando os trombones. Normalmente a orquestra na usava o piano, mas sim, o trombone-baixo com uma seção rítmica constituída constituída por contrabaixo e bateria. Outro ponto alto da orquestra e responsável pela maioria dos arranjos era Charles Albertine. As gravações em estúdio, prolongaram-se até 1968, num total de 50 LPs e abrangendo 600 temas musicais. Agora, é só ouvir o belo e suingante “Som Elgart”.