George Gershwin, nasceu em uma família judaica no dia 26 de setembro de 1898, no bairro do Brooklyn em New York, constando de seu registro de nascimento o nome de Jacob Gershovitz, que jamais usou e era conhecido como George. O pai Moishe, emigrou para a América do Norte em 1890. Aos 8 anos de idade, George iniciou os estudos de piano com os professores Hambitzer e Hutcheson e ao chegar aos 15 compõe a primeira canção intitulada “Since I Found You”, com o talento e criatividade começando a aflorar. O Irmão mais velho Ira (emérito letrista e parceiro) nasceu em 1896 e foi registrado como Israel. Em 1916, o sobrenome Gershwin foi adotado oficialmente, sendo seguido pelo restante da família. Antes de comple tar 21 anos, já havia composto a primeira revista musical conhecida como “La, La Lucile”, isso em 1919.

Posteriormente, empregou-se como pianista e propagandista de canções na editora Remick´s em “Tin Pan Alley”, região onde se concentravam as editoras de partituras musicais ao longo da 28th Street e arredores em Manhattan. A feliz oportunidade para divulgar seu trabalho, surgiu ao ser contratado como pianista da vedete de “vaudeville” Nora Bayes, para acompanhá-la ao piano em exibições, uma chance extraordinária pois, Nora realizava longas temporadas por todo país. A partir daí, os irmãos George e Ira iriam dividir centenas de belíssimos temas musicais que se tornariam perenes.

Infelizmente, George Gershwin não chegou a completar 40 anos, morreu solteiro, levando uma vida agitada e repleta de viagens, um festeiro contumaz que adorava tocar piano em público para divulgar seu trabalho. Em fevereiro de 1937, durante uma apresentação do “Concerto Em Fá” com a “Los Angeles Philharmonic”, sofreu um desmaio. Levado ao hospital, diagnosticou-se um tumor cerebral. Após cirurgia sem resultado, veio a falecer a 11 de junho do mesmo ano, aos 39 anos, no auge da criatividade e da fama. Apesar da prematura morte, George Gershwin deixou extensa obra, mais de 600 trabalhos entre temas musicais encenados na Broadway e em películas rodadas em Hollywood, também sua obra prima, a ópera negra “Porgy And Bess”. Para quem sempre admirou seu talento, a melhor maneira de homenageá-lo é ouvir e divulgar a música imortal e sempre atual que produziu.