DICK HAYMES

Richard Benjamin Haymes (1916-1980), começou a aparecer no meio musical ao ser contratado pelo bandleader Harry James, em substituição a Frank Sinatra que fora para a orquestra de Tommy Dorsey (1940). A excepcional voz de barítono, logo caiu nas graças do público e cresceu como intérprete. Ao deixar James, atou ao lado de Benny Goodman e Tommy Dorsey, indo para a carreira como solista em 1944, contratado pela gravadora Decca Records. Haymes teve uma bem sucedida carreira no cinema, protagonizando várias películas em Hollywood. A voz assemelhava-se a um afinadíssimo trombone. Nesta edição gravações em um programa de rádio “ao vivo”.

PERRY COMO

Pierino Ronald Como (1912-2001), uma voz aveludada que, primitivamente, tinha a profissão de barbeiro. Em 1934 fechou o salão para ser crooner da big band de Freddy Carlone em Cleveland-Ohio. Dois anos após (1936), Ted Weems o contrata, aparecendo com a banda em salões de baile e programas de rádio transmitidos da cidade de Chicago-Illinois. Ao deixar Weems, vai para a carreira solo, com vantajoso contrato assinado na RCA Victor. Começa aí uma carreira repleta de glórias.

BIG CROSBY

Harry Lillis Crosby (1903-1977), Bingo como era chamado por amigos, é considerado o pai dos cantores modernos. Criador de um estilo coloquial inconfundível e, aproveitou com sabedoria, a era do microfone elétrico. As interpretações de Bing foram rapidamente imitadas por canto res que apareceram depois dele. O enorme acervo fonográfico foi gravado nos selo Columbia, Decca e Universal Records. Sua morte deu-se na cidade de Madrid-Espanha, enquanto jogava golfe com amigos, aos 74 anos, ao sofrer um ataque cardíaco. Bing Crosby e seu vozeirão incon
fundível.

FRANK SINATRA

Francis Albert Sinatra (1915-1998), o cantor do século XX, the voice, the old blue eyes, the chairman of the board. Eis um cantor realmente notável. Crooner das big bands de Harry James e Tommy Dorsey, entre 1939 e 1942. Como cantor independente (1943), contratado pela Columbia Records, posteriormente, passou a pertencer à Capitol até 1960. Desse ano em diante fundou a própria gravadora, a Reprise Records. Durante a longa carreira discográfica gravou cerca de 1300 temas em estúdio e vendeu, até nossos dias, aproximadamente 500 milhões de cópias. Sinatra em refinadas interpretações com um fraseado personalíssimo.