Raymond (Ray) Eberle, marcou seu nome ao atuar na orquestra do trombonista Glenn Miller entre 27 de abril de 1938 e 17 de junho de 1942. Seu irmão mais velho Bob, era “crooner” da orquestra do saxofonista Jimmy Dorsey.

Ray nasceu na cidade de Mechanicville-New York a 19 de janeiro de 1919. Em 1938, Glenn Miller estava procurando um vocalista para seu recém formado grupo e soube que Bob tinha um irmão que também cantava.

Dessa maneira, Ray foi contratado, iniciando apresentações públicas, programas de rádio e gravações em estúdios, num total de 133 registros fonográficos que, até nossos dias, fazem parte do acervo da banda.

Alguns críticos questionavam o estilo vocal de Ray, achando-o titubeante e inseguro. Miller porém , orientou-o e, aos poucos, Ray firmou-se como intérprete convincente, tendo em vista que, poucos “crooners” de big bands gravaram a quantidade de canções que ele gravou.

Nas duas películas que a orquestra de Glenn Miller apareceu, Ray estava presente ( Sun Valley Serenade de 1941 e Orchestra Wives de 1942), rodadas nos estúdios da Universal Pictures. Após deixar a orquestra em 1942, atuou por um curto período ao lado do baterista e bandleader Gene Krupa.

Passado algum tempo, formou sua própria big band com um acervo semelhante ao executado por Glenn Miller e interpretando os vocais. No inicío dos anos 1970, convidado pelo saxofonista e chefe de orquestra Tex Beneke, excurcionou pelo país com a banda apre sentando as canções eternizadas por Miller, ou seja “In Miller´s Mood”.

Ray Eberle morreu aos 60 anos de idade, vitimado por um ataque cardíaco na cidade Douglasville-Georgia no dia 25 de agosto de 1979. Ouçam belas interpretações de Ray Eberle, respaldado pela lendária e carismática orquestra liderada pelo trombonista Alton Glenn Miller.