Chesney Henry “Chet” Baker, Jr. nasceu na cidade de Yale-Oklahoma no dia 23 de dezembro de 1929. Trompetista e cantor de jazz e “standers” da grande canção norte-americana, foi influen ciado pelo pai, guitarrista quando aos 10 anos de idade recebeu de presente um trombone.

No final dos anos 1930 começou a estudar teoria musical e não tardou em conquistar o suces so ao adotar o trompete como seu instrumento. Ainda bem jovem passou a integrar grupos de jazz de remone ao lado dos saxofonistas Vido Musso e Stan Getz. O retumbante sucesso veio após o convite do sax-alto Charlie Parker em uma série de apresentações na costa oeste do país. Posteriormente, uniu-se ao sax-barítono Gerry Mulligan ao gravar a primeira versão do tema “My Funny Valentine”.

Seu talento no trompete e no canto logo o transformaria em ídolo na América do Norte e Europa, onde permaneceu por longos anos. Sérios problemas de seu envolvimento com drogas abalaram a carreira sendo, várias vezes preso. Em 1985 Chet esteve se apresentando no Brasil para apresentações no Rio de Janeiro e em São Paulo. No Hotel Maksoud Plaza, após o show ele se apossou da maleta do médico que o acompanhava e tomou doses cavalares de heroina que estava para ser administrada no controle das crises de abstinência. Essa overdose quase o levou à morte. Ele lutou a vida toda para se livrar do vício e não conseguiu.

Chet Baker morreu de forma trágica aos 58 anos em Amsterdã-Holanda no dia 13 de maio de 1988, ao cair da janela do Hotel Prins Hendrik e até hoje há controvérsias sobre as circunstâncias de sua morte, se foi acidente ou suicídio. Este especial apresenta belas gravações de sua carreira discográfica não somente como emérito trompetista, mas também intérprete de linda e suave voz.