BILLY ECKSTINE

William Clarence Eckstine foi descoberto pelo pianista e bandleader Earl “Fatha” Hines, quando atuava em um clube noturno de Pittsburg-Philadelphia, contratando-o em 1939 para ser o “crooner de sua black band. Com Hines, permaneceu até 1943 quando retirou-se para formar aquela que seria a primeira corporação musical de sucesso tocando no estilo “be bop”, até março de 1947, dissolvendo a banda e iniciando carreira solo como cantor, contratado pela recém fundada MGM Records. Durante a permanência com Hines, descobriu uma brilhante cantora que se apresentava no famoso programa de calouros do Apollo Theater no Harlem, levando-a para atuar como lady-crooner e segunda pianista da banda. Na “All Stars Band” de Billy, Sarah permaneceu por 1 ano, indo em seguida para a carreira solo.

SARAH VAUGHAN

Em 1945, no início da carreira solo, percorreu um caminho marcado por participações em discos gravados sob orientação do produtor Leonard Feather na etiqueta Continental Records. Posteriormente, gravou álbuns de tradicionais compositores como Cole Porter, Irving Berlin, Richard Rodgers e Jerome Kern, entre outros. Uma carreira de pleno sucesso, uma voz vibrante e bela. Sarah esteve se apresentando no Brasil em várias temporadas. Billy Eckstine e Sarah Vaughan mantiveram uma amizade por toda vida e gravaram duetos memoráveis na EmArcy Records. Sarah Lois Vaughan faleceu no dia 04 de abril de 1990, aos 66 anos, enquanto que Billy nos deixou a 08 de março de 1993, aos 78 anos. Dois exponenciais intérpretes da grande
canção norte-americana e do jazz do século XX. Ouçam e constatem a excelência de suas vozes.