BIG BAND DE GENE KRUPA

Eugene Bertram Krupa, baterista e bandleader, nasceu em Chicago-Illinois a 15 de janeiro de 1909. Com ele, a bateria deixou de ser um instrumento apenas de ritmo para se tornar instrumento de solo. Krupa começou a tocar nas bandas de Eddie Comdon no final dos anos 1920, Red Nichols (1931-1934) e Benny Goodman (1934 e início de 1938). Com Goodman, formou os famosos trios, quartetos e quintetos. Na primavera de 1938, com apoio financeiro de Benny Goodman, formou a própria corporação musical, estreando em Atlantic City no dia 16 de abril no famoso salão de baile Steel Pier, onde mais de 4000 admiradores se “acotovela-vam” para dançar ao som da banda. Um sucesso em precedentes. O acervo discográfico foi gravado nas nas etiquetas Columbia e Okeh Records. Além de instrumentistas de categoria, Krupa teve sob contrato as lady-crooners Irene Daye, Anita O´Day e os crooners Howard Dulany, Buddy Stewart e Roy Eldridge, este também um ás no trompete. A orquestra de Krupa apareceu em vários musicais rodados em Hollywood e teve sua vida contada na película “The Gene Krupa Story”, tendo o ator Sal Mineo no papel principal. Gene Krupa morreu no dia 16 de outubro de 1973, vitimado por leucemia, aos 64 anos de idade.

JULIE LONDON

Julie Peck, seu verdadeiro nome, cantora e atriz de Hollywood, uma voz sexy, romântica e sussurrante, gravou para os selos Capitol a partir dos anos 1950 e posteriormente no Liberty Records a maioria do acervo fonográfico. A carreira no cinema também foi de sucesso . Julie London nasceu no dia 26 de setembro de 1926 na cidade de Santa Rosa-Califórnia e morreu, aos 74 anos a 18 de outubro de 2000. Ela foi casada com o ator e diretor Jack Webb(1947-1953) e teve dois filhos, com Bobby Troup compositor, pianista e cantor(1959-1999) e teve três filhos.

AL MARTINO

Alfred Cini, seu nome no registro civil, ator e cantor ítalo-americano natural da cidade de Philadelphia-Pennsylvania a 07 de outubro de 1927. De grande popularidade nos EEUU, apareceu nas películas “O Poderoso Chefão –Partes I e II”, desempenhando o papel de Johnnny Fontane, protegido do capo mafioso Dom Vito Corleone. Al Martino gravou extensivamente na Capitol Records, um repertório romântico ao estilo de Frank Sinatra. Ele também tem canções gravadas nas etiquetas 20th Century Fox, Prestige e Pickwick Records. Al Matino morreu, aos 82 anos de idade, no dia 13 de outubro de 2009 em Springfield-Pennsylvania.