BIG BAND DE CHARLIE SPIVAK

Exímio trompetista de timbre inconfundível, Charlie Spivak organizou sua corporação musical com o incentivo e ajuda econômico-financeira do amigo Glenn Miller. Era considerada uma filial da orquestra de Miller, com trocas de instrumentistas e substituindo-a em apresentações em hotéis, teatros e salões de baile. Pela banda passaram músicos que, no futuro, ocupariam lugares de destaque no cenário musical dos EEUU, como os irmãos Les e Larry Elgart, o arranjador e maestro Nelson Riddle e o trombonista Urbie Green. Como lady-crooner a excelente Irene Daye, então sua esposa. Spivak liderou a big band entre 1940 e final dos anos 1960, com gravações realizadas nos estúdios da Okeh, Columbia, RCA Victor, London e Design Records. O tema musical era a bela canção “Star Dreams”, com magistral solo de trompete do líder.

ARTHUR PRYSOCK

Antes de ser tornar destacado cantor, Arthur Prysock foi auxiliar de cozinha em Hartford-Connecticut. Baixo-baritono com timbre muito parecido à Billy Eckstine, seu ídolo, Prysock começou a cantar na big band do pianista Buddy Johnson. Na carreira solo gravou nas etiquetas Decca, Mercury e Milestone . Cantor fora-de-série e não muito conhecido no Brasil, nasceu na Carolina do Norte em 1926 e morreu aos 71 anos em setembro de 1997. Arthur Prisock, um cantor sempre agradável de se ouvir.

DORIS DAY

Cantora e atriz de Hollywood, Doris Maryann Von Kapelhoff, um grande talento e um sorriso jovial, foi lady-crooner das orquestras de Barney Rapp, Bob Crosby e Les Brown, antes de seguir vitoriosa carreira solo contratada pela Columbia Records. Em 1948, paralelamente à carreira de cantora, iniciou trajetória como atriz de grande sucesso e campeã de bilheteria por mais de dez anos. Nascida a 03 de abril de 1922 em Cincinnati-Ohio, morreu em Carmel Valley-California, aos 97 anos no dia 13 de maio de 2019. Doris Day, uma legenda na arte de cantar e atuar em inesquecíveis películas cinematográficas rodadas em Hollywood.