BILLIE HOLIDAY (Eleanora Fagan 1915-1959), uma das mais destacadas e sensíveis cantoras de jazz do século XX, nasceu em uma família humilde de pais adolescentes. Ela soube superar as dificuldades da vida, até chegar ao sucesso e reconhecida pelo talento como intérprete. Perfeita dicção, entonação precisa e sensibilidade intuitiva, a transformaram na mais admirada pelos cultores do jazz. Entre 1935 e 1942, gravou aproximadamente 150 temas que entraram para a história do jazz, acompanhada pela big band do pianista Teddy Wilson, sob a chancela da etiqueta Columbia Records. Lamentavelmente, Billie levou uma vida particular errática com muito álcool e drogas pesadas, ocasionando o declínio na carreira e morte prematura, aos 44 anos. Apesar da curta carreira, deixou registros fonográficos memoráveis também nas grava doras Decca-MCA, Commodore e Verve Records. Ouvir Billie Holiday, é uma dádiva para pes
soas que tenham bom gosto e sensibilidade.

ELLA FITZGERALD (Ella Jane Fitzgerald 1917-1995), a primeira dama do jazz, ganhou o concurso de calouros do famoso Apollo Theater no Harlem em 1934 e, posteriomente, foi contratada pelo baterista Chick Webb para ser a lady crooner da black band (1935). Após a morte de Webb em 1939, Ella assumiu a direção até 1942. Após a dissolução, foi para a carreira solo contratada pela Decca-MCA. Em 1956, ao participar do movimento musical conhecido como “Jazz At The Philharmonic”, Norman Granz, idealizador do movimento e proprietário da Verve Records a contratou. Durante mais de 20 anos Ella Fitzgerald gravou os famosos “songbooks” considerados verdadeiras obras primas da música popular norte-americana. Uma das mais belas vozes surgidas no século XX , suavidade, timbre, afinação e interpretação, eis os predicados dessa fabulosa cantora. Ella Fitzgerald esteve várias vezes se apresentando no Brasil, sempre com enorme sucesso.