O compositor George Gershwin nasceu em uma família de origem judaica, a 26 de setembro de 1898, no bairro do Brooklyn em New York City, constando no registro de nascimento o nome de Jacob Gershvine, certamente um erro ortográfico pois, o sobrenome da família era Gershowitz. O pai Moishe, emigrou para a América do Norte em 1890. Aos 8 anos de idade iniciou estudos de piano com os professores Hambitzer e Hutcheson e aos 15 anos compôs a primeira canção popular intitulada “Since I Found You”, com o talento e criatividade começando a aflorar. O irmão Ira (emérito letrista), nasceu em 1896 e foi registrado com o nome de Israel. Em 1916, o sobrenome Gershwin foi adotado oficialmente, sendo seguido pelo restante da família. Antes de completar 21 anos, George já havia produzido a primeira comédia musical conhecida como “La, La, Lucille” (isso em 1919). Ainda muito jovem, empregou-se como pianista, e propagandista de canções na editora Renick´s em Tin Pan Alley, região onde se concentravam as editoras de partituras musicais ao longo da 28th Street e arredores em Manhattan. A feliz oportunidade de divulgar suas composições surgiu ao ser contratado pela vedete de “vaudeville” Nora Bayes, para acompanhá-la ao piano em exibições, uma chance extraordinária pois, Nora realizava longas excursões por todo país. A partir daí, os irmãos George e Ira iriam dividir centenas de belíssimos temas e revistas musicais que se tor nariam perenes. Infelizmente, George Gershwin não chegou a completar 40 anos, morreu solteiro, levando uma vida agitada, repleta de viagens, um festeiro contumaz que adorava tocar piano em público divulgando seus trabalhos. Em fevereiro de 1937, durante uma apresentação do “Concerto Em Fá” com a “Los Angeles Philharmonic”, sofreu um desmaio. Levado ao hospital, diagnosticou-se um tumor cerebral. Após cirurgia sem resultado, veio a falecer a 11 de junho, aos 39 anos, no auge da criatividade. Apesar da morte prematura, deixou extensa obra. Mais de 600 trabalhos, entre temas musicais, revistas para a Broadway e a ópera “Porgy And Bess”, Todos nós que admiramos seu talento, reverenciamos sua memória e, a melhor maneira de homenageá-lo é divulgar sua música imortal e sempre atual.